lunes, febrero 05, 2007

Um adeus


Depois de traduzir Hélène Dorion

Amar o universo não me traz mágoa.
Sobretudo,amar a areia
arrebata-me de júbilo e paixão.Amar o mar
completa a minha vida
com o tacto de um amor imenso.
Mas veio o vento e,por momentos,
amargurou o meu corpo,a oscilar.
E está o Sol aqui,depois de uns dias
com o jardim obscurecido a beber sombra.
E sei que os átomos zumbem
e dançam como os insectos,
ébrios em redor do pólen.


Fiama Hasse Pais Brandão (Lisboa 1938, Lisboa 2007)


Suena: http://www.youtube.com/watch?v=OpExb2hCYTs


Para sempre...

2 comentarios:

viernes dijo...

é muito triste receber ista noticia, mágoa de palavras que se acaban... não posso dizer mais que adeus, até sempre

um beijo

maría nefeli dijo...

Nenhuma palavra de Fiama pode acabar-se...